A vida com 100 coisas

Eu já tinha lido sobre esse cara, o David Michael Bruno. Ele quer viver um ano com apenas 100 coisas pra mostrar como as pessoas vivem com tantas coisas que não servem para nada. A Época fez uma matéria sobre vida simples e falou sobre ele.

Essa ideia me lembrou que quando eu fui morar em Angola, arrumei uma mala de 20 ou 30 quilos, agora não me lembro, e, por seis meses, isso era tudo o que eu tinha. Poucas das minhas roupas e sapatos, umas fotos para o mural, meus colares e brincos vila madalena, uns xampus e uns cremes e um perfume, dois livros, um caderno, meu computador e minha câmera. Era tudo. E eu comecei a viver com isso e todas as outras coisas que eu tinha é como se não existissem mais, eu nem lembrava que já as tinha tido algum dia.

Aí quando vim, de férias por quinze dias, para SP, foi horrível. Tive uma das sensações mais esquisitas para uma pessoa que chega de férias em casa, com saudade de tudo. Em vez de ficar feliz, não conseguia parar de chorar quando via minhas coisas. Foi angustiante. Eu olhava para aquelas bolsas, aqueles sapatos, para os móveis, para as quinquilharias que a gente acumula no tempo e só conseguia pensar, meio em pânico, como é que eu faria para me livrar de todas aquelas coisas inúteis. Depois a sensação foi passando e eu fui relembrando que, sim, ter aquelas coisas era importante e era legal. Ironicamente, voltei pra Angola e minha mala desapareceu por três semanas. Contei um monte sobre isso aqui. Foi tudo um aprendizado.

Tags: , , , ,

7 Respostas to “A vida com 100 coisas”

  1. s. Says:

    eu fiquei muito feliz de empacotar a casa inteira antes de vir pra cá. não via a hora de ter menos coisas. agora, sinto falta de algumas das minhas roupas e sapatos. e alguns livros e cadernos. só. (mas confesso que já andei comprando… roupas, cremes, caixas e tupewares por aqui, haha)

    • juborges Says:

      esse é um exercício bom. acho que não tem problema comprar se a gente consegue se desfazer e fazer cicrular. o lance errado acho que é ficar acumulando. bjs

  2. gilberto2009 Says:

    Oi passando para desejar felicidades e dizer que adorei o blog, peço para dar uma olhadinha no meu: http://gilbertogil.wordpress.com/ ´´Descrevo,como vejo´´ é um blog de humor criado no intuito de fazer humor ao mesmo tempo informar, lá você pode se divertir e fazer donwloads de livros como crepúsculo, o segredo e muito mais..acompanhar o concurso beldades do orkut 2009 e votar. Espero que gostem e comentem, dessa forma iremos crescer juntos….valeu…!

    seja um parceiro mande um e-mail para esse endereço junto com o link do seu blog. (gil2008gilo@hotmail.com)

  3. Alexandre Correia Says:

    Ju,

    As crises podem chegar com qualquer idade e para vencê-las há que ter força, coragem e maturidade. São coisas que não se aprendem com a idade, mas não nascemos ensinados. Um dia descobrimos, como a Ju já descobriu, que nos esforçámos imenso para ter coisas que, afinal, não valem a energia que nos levaram. Acredito que não seja difícil viver um ano inteiro com 100 coisas. Até sem dinheiro, ou com um mínimo. Um dos segredos da vida é relativizarmos tudo o que está a mais ou é dispensável e não nos deixarmos ir abaixo nunca. O meu trabalho como jornalista não está para aí orientado e não posso dispensar o tempo que isso me exigiria, mas acredito que trocar de vida por algum tempo e viver esse período sem nada seria uma experiência muito interessante para posteriormente partilhar com leitores num jornal ou revista de grande, grande circulação. Talvez não tivesse assim tantas surpresas, mas acredito que seria capaz de surpreender muita gente com esse relato. Hoje, são milhões de pessoas da classe média que vivem deprimidas por estar a perder “tudo” (entende o sentido, não?) e não se dão conta que não podem é perder a sua vontade de viver, a sua dignidade, a sua auto-estima. Quantos mais descobrirem estes segredos mais saberão o valor da solidariedade e o enorme prazer que é dar desinteressadamente, agradecer a quem fez por receber um agradecimento (hoje em dia, quase ninguém agradece nada a ninguém) e até o significado daquela velha frase que diz que “vão-se os anéis, ficam-se os dedos”. É tudo efémero, Até nós. A menos que façamos algo que nos torne imortais. Um beijo,
    Alexandre

    PS – Acontece aos 27 e com qualquer idade. Mas passa…

  4. gabriel borges Says:

    bom, fiz as contas aqui… meia (de colocar no pé) conta como uma ou duas? em fim mesmo contando minhas meias acho que nõa chego a 100, e a maioria tem dois donos eu e thá….

    a coisa triste é qe no brsil poucas ou quase nada (objetos) me esperam….

    he he mas o oroscopo daqui é sempre otimista!

    • juborges Says:

      ah, mas quando vc chegar no brasil você volta a acumular novas coisas. o bom é que pode começar do zero!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: