Posts Tagged ‘alembamento’

Meta foto

16/02/2009

cachorro2
Foto do fotógrafo do alembamento

Um post subjetivo sobre o alembamento

16/02/2009

O alembamento é uma cerimônia angolana de pedido de casamento. O ritual da família do noivo fazer o pedido formal de casamento à família da noiva é tão importante que, pra muita gente, importa mais do que o casamento em si.

Pra explicar tudo ao pormenor é muito difícil, longo e complexo. E eu acho que nem conheço suficientemente bem do assunto pra falar de um jeito fiel.

Mas nesse fim de semana eu estive num alembamento lá em Viana. Meus olhos, minha curiosidade e minha câmera acompanharam tudinho. Vi a preparação da festa, com mesas muitíssimo arrumadas, DJ, bebidas e comidas, muitas comidas. Vi a expectativa eufórica da noiva no quarto cheio de maquiagens, perfumes, alvoroço e de outras mulheres igualmente eufóricas. Vi a tensa negociação entre a família da noiva e do noivo numa salinha reservada da casa. Ouvi o noivo ler a carta de pedido, a intervenção do mais velho, o discurso do pai da noiva. Vi a família no noivo entrar com as caixas de cerveja, de gasosa, as garrafas de whisky, os fatos e as outras coisas da lista de pedidos da família da noiva. Vi a aliança chegar e vi também o dinheiro que a família do noivo deixou em cima dos presentes. Vi a noiva entrando toda arrumada, emocionada e com o corpo e a cabeça cobertos por um tecido. Vi a tensão ir embora da salinha quente e apertada depois que entrou-se num consenso e as duas famílias brindando com champagne, depois de um beijo dos noivos. Senti toda a atenção que aquelas duas famílias me deram e me senti acolhida de eu, tão intrusa, poder estar ali naquele momento tão íntimo e especial. Vi as pessoas começarem a comer aquele exagero de comida, o fungi, a kizaka, o calulu, a mandioca, o arroz de mariscos, o feijão com óleo de palma, a carne de porco, o peixe, a batata. Vi a música aumentar com Roberto Carlos, depois kizombas e sembas. Só não vi a festa terminar, provavelmente já no outro dia, pois foi tanta informação nova, mais tanta, que meu corpo começou a sentir um cansaço enorme e Viana fica distante de Luanda, principalmente depois da chuva.

Não sei se alguém entendeu como funciona um alembamento. Não sei nem se eu entendi. Quem sabe um dia eu consiga fazer um post mais objetivo sobre o assunto. Ou talvez isso nem seja importante. O que importa é que as pessoas se amam, se juntam, se procriam, cumprem os seus rituais, não importa quais sejam eles.