Posts Tagged ‘escolhas’

Se desse

22/09/2009

Se desse, eu iria agora mesmo para fora de mim ou para o futuro para saber se continuo fazendo tudo isso ou se tá tudo muito errado.

Mas como não dá, eu vou seguindo em frente fazendo essas coisas que minha intuição acha que são as certas.

Porque eu já fiz demais o que o senso comum dizia que era certo e, de repente, estava tudo muito distante do que eu acreditava e eu fiquei infeliz.

Mas é que esses dias eu ando muito sensível e o que as pessoas dizem estão me fazendo refletir. E algumas me disseram que nunca me viram assim e, apesar de eu não ter entendido tão bem como é o assim, eu fiquei preocupada comigo mesma.

E.T. phone home

24/08/2009

Querido diário, hoje estou muito feliz porque tenho uma casa. Na minha casa tem tudo dentro: cama, plantas com flores, vinhos, quadros na parede, varanda, ingredientes, cubanita, sofá, mapa múndi, roomate, olga e até geladeira. E tem eu dentro. E essa foi a parte mais difícil. Ter eu dentro significa que eu moro numa cidade.  E eu morar numa cidade siginifica que eu escolhi morar, mesmo que seja pra desescolher no futuro longe ou próximo.

16h16

12/08/2009

Eu conheci uma pessoa que me disse que quase todas as horas que ela olhava para o relógio os números apareciam repetidos. 11h11, 20h20, 00h00, 08h08,  02h02, etc h etc.

Essa pessoa me disse também que sua vida e suas escolhas sempre foram pautadas por coincidências feito essas de sempre olhar para o relógio e ver números repetidos. Não sei nem se isso é verdade ou não, mas era isso que essa pessoa sempre dizia. Mas ela dizia outras coisas que, no começo eu acreditava, mas, depois, comecei a desacreditar. Enfim, não entendo essa pessoa muito bem.

Só que agora, não sei muito bem se por coincidência ou não, essa coisa de ficar vendo as horas repetidas grudou em mim. E, também não sei se por coincidência ou por efeito da terapia, minhas escolhas têm sido muito mais pautadas pelas coincidências, ou melhor, pelas conexões estranhas que a vida fica colocando na nossa frente. E assim eu vou caminhando.

No se puede ter todo

31/03/2009

A minha saudade do Brasil é na verdade saudade de uma vida que já não pode mais ser minha. E por isso é uma saudade bem doída mesmo. Mas, como diz o amigo argentino ou boliviano da C. que fica viajando o mundo para surfar, no se puede ter todo.